Começar uma empresa por conta própria é sempre um desafio, certo? Além de ser responsável por muitas funções, seja pela falta de profissionais da área ou questões financeiras, o empreendedor ainda tem que lidar com dúvidas comuns na hora de contratar uma mãozinha extra: afinal, quanto custa ter um funcionário?

A resposta para esta pergunta pode variar de acordo com a categoria do profissional, o salário, os benefícios, custos obrigatórios, entre outros regulamentos. Mas não se preocupe! 😉 Separamos um guia simples de quanto custaria ter um funcionário para a sua empresa, sem burocracia. Olha só! 👇

Quanto custa ter um funcionário de carteira assinada?

Para contratar um funcionário de carteira assinada, a legislação trabalhista do Brasil define algumas regras e regulamentos obrigatórios. Entre os principais, estão: salário, INSS, FGTS e férias.

Vale lembrar que esses benefícios são garantidos por lei. Ou seja, para evitar qualquer complicação ou processos trabalhistas, é preciso ir atrás desses direitos para só então contratar um funcionário. Combinado?

👉 Leia também: Veja como o cartão corporativo pode ajudar o seu negócio.

Depois de saber quais são esses regulamentos, documentos necessários, e o perfil do profissional que você busca, chega a hora de listar os custos estimados da contratação:

Salário — Este valor pode variar muito do perfil do profissional que você está buscando para a sua empresa. Saber a média paga pelo mercado, o piso salarial da profissão, a jornada de trabalho e a experiência do funcionário são algumas opções que te ajudam a definir um salário justo para os dois.

Férias — Além do descanso ser essencial para uma boa produtividade e para um relacionamento saudável entre a empresa e o funcionário, as férias remuneradas são muito importantes na hora de calcular quanto custa um funcionário de carteira assinada.

As férias de 30 dias são calculadas da seguinte forma: o salário bruto do funcionário + um terço do salário bruto, menos os descontos da folha de pagamento, outros benefícios e horas extras. Por exemplo:

• Um funcionário que recebe um salário mínimo bruto (R$ 1.100) deve receber este valor + R$ 366 (um terço), somando, aproximadamente, R$ 1.476 de férias, sem os impostos.

INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) — Responsável por pagar os benefícios como aposentadoria, pensão por morte e outros, o INSS é cobrado mensalmente e garante uma certa proteção ao trabalhador.

Mas quanto é cobrado do INSS? O valor vai depender muito da categoria do trabalhador e da sua alíquota. Por exemplo: o empregado, empregado doméstico e trabalhador avulso que recebem até R$ 1.100, tem 7,5% descontado do seu salário, todos os meses, para garantir os benefícios que citamos.

FGTS — Segundo a Caixa, o valor do FGTS deve ser correspondente a 8% do salário bruto do funcionário. Mas isso pode variar de acordo com a contratação e perfil do funcionário. Em casos de contrato de aprendizagem, esse número cai para 2%.

Transporte — Calcular o valor do transporte do seu funcionário é essencial na hora da contratação. Isso porque, para este benefício, o trabalhador deve contribuir com 6% do seu salário, mas o restante quem paga é a empresa.

Confira o trajeto da pessoa que vai ser contratada, contando ida e volta e multiplique o valor das passagens por 22 — a média dos dias úteis de um mês. Este será o valor final a ser pago por mês.

Outros custos: além desses, você ainda precisa ficar atento a outros pagamentos importantes na hora de contratar alguém. Entre eles, sobram ainda: o décimo terceiro, licença-maternidade ou licença-paternidade, acidente de trabalho ou licença médica, que podem variar de caso em caso.

👉 Leia também: Tudo sobre o que é CNPJ e como abrir o seu.

É obrigatório pagar vale refeição e vale transporte?

Depende. Esses benefícios são opcionais ou podem ser obrigatórios de acordo com a categoria do funcionário - em casos de instituições ligadas a sindicatos, por exemplo, o vale-refeição ou vale-alimentação é obrigatório.

Apesar de ser um valor “extra” a ser pago pela empresa, esse benefício também serve de motivação e até mesmo diferencial na hora de fechar um contrato de trabalho.

Além dele, o empreendedor que está buscando quanto custa ter um funcionário pode desembolsar ainda com outros custos adicionais: plano de saúde, plano odontológico, auxílio-creche, etc.

👉 Leia também: Como vender nas redes sociais? Dicas para aumentar as vendas.

Conheça a solução Superdigital para empresas:

Já pensou em diminuir o tempo que você gasta realizando pagamentos e outras burocracias em filas de banco? Na Superdigital, você pode fazer tudo isso enquanto toma um café. Vamos conversar melhor?