O Pix chegou em 2020 e ajudou a agilizar e desenrolar os pagamentos e as transações bancárias de vários brasileiros, disponível 24 horas, sete dias por semana. Apesar do sucesso, os golpes e fraudes envolvendo o Pix se tornaram comuns, gerando preocupação entre os usuários e fãs do serviço.

Pensando na sua segurança e bem-estar financeiro, o Banco Central do Brasil (BC) reuniu algumas dicas que podem te ajudar a manter as suas transações e o seu dinheiro mais seguros, evitando os golpes e abordagens criminosas mais usadas.

Pix: como identificar possíveis fraudes

Para se proteger das fraudes que envolvem o Pix, é preciso conhecer as principais tentativas e comportamentos dos golpistas. Dessa forma, você vai estar atento aos sinais mais comuns e saberá como agir diante de cada situação. Preparado?

Invasão de conta - Recebeu uma mensagem no WhatsApp, email ou por SMS com um link suspeito, que parece ser do seu banco, mas você não tem certeza? Por via das dúvidas, não clique. Pode ser uma tentativa de golpe.

Ao clicar no link enviado, o criminoso consegue acessar a sua conta, transferindo o dinheiro na mesma hora, através do Pix.

✅ O que fazer: lembre-se de não clicar em links suspeitos e conferir sempre o número, nome e endereço de email do remetente (a pessoa que te enviou a mensagem). Ficou em dúvida? Sem problemas! Tente entrar em contato com a sua instituição bancária e informe a situação.

Central de atendimento falsa - Alguém entrou em contato dizendo ser a central de atendimento do seu banco? Fique atento e evite passar mais informações. Nesse caso, os golpistas abordam a vítima sobre supostos problemas na conta relacionados ao Pix e começam a pedir as credenciais do usuário.

✅ O que fazer: a recomendação é nunca passar seus dados pessoais (senhas, números, prints, QR Code, etc.) ou permitir o acesso remoto de outras pessoas ao seu celular ou computador.

Clonagem de WhatsApp - Comum entre os principais golpes relacionados ao Pix, a clonagem de WhatsApp funciona assim: o criminoso acessa o aplicativo da vítima e começa a se passar por ela, entrando em contato com parentes e amigos, pedindo transferências bancárias através do Pix.

✅ O que fazer: caso você seja abordado, antes de transferir qualquer valor, ligue ou entre em contato pessoalmente com a vítima para confirmar se o pedido é verdadeiro. Se você for a vítima, busque o seu banco e avise sobre o golpe. Evite passar códigos por mensagem, compartilhar o seu número de telefone nas redes sociais e ative a dupla autenticação da sua conta.

Venda falsa - Foi abordado por um “vendedor” ou uma “oferta imperdível” de sites, redes sociais ou anúncios? Cuidado, pode ser uma tentativa de fraude. Em muitas situações, a vítima realiza pagamentos com o Pix esperando receber o produto desejado e acaba saindo no prejuízo.

✅ O que fazer: confira se outras pessoas estão falando sobre o mesmo produto que você se interessou. Confirme se o perfil da empresa é oficial e desconfie de promoções muito fora do esperado. Por fim, busque em sites de reclamações confiáveis qual é o ranking da empresa e o que outros usuários dizem.

😥 Fui vítima de um golpe, o que devo fazer?

Antes de mais nada, fique calmo e tente pensar com clareza. Para vítimas de fraudes envolvendo o Pix, a primeira recomendação é avisar a polícia assim que identificar o furto. Dessa forma, a instituição ficará responsável por investigar o caso e as chances de recuperar o seu dinheiro são maiores.

O segundo passo é entrar em contato com o seu banco para buscar possíveis soluções e diminuir o prejuízo financeiro. Se preferir, ligue para o SAC ou tente o atendimento online. Caso não resolva, vá até a instituição com os documentos em mãos e explique o que aconteceu.

Tentou todas essas alternativas acima e nada mudou? Você também pode recorrer aos órgãos de defesa do consumidor (Procon) ou ao Poder Judiciário para buscar reparação do dano.

Outra opção para as vítimas de golpes relacionados ao Pix é abrir uma reclamação junto ao Banco Central, contra o banco que o golpista utilizou para aplicar o golpe. Para mais informações, acesse o site oficial do BC aqui.